Como cuidar bem da cicatriz após uma cirurgia plástica

Imagem: DC_Studio, de envatoelements
Imagem: DC_Studio, de envatoelements

Após uma cirurgia plástica, vários cuidados são essenciais para um melhor processo de cicatrização. Dessa maneira, é necessário afastar os fatores que prejudicam a recuperação no pós-operatório.

É importante entender que o processo de cicatrização é na verdade a formação de um tecido novo após a intervenção cirúrgica. Caso não sejam adotados os devidos cuidados, podem ficar cicatrizes destacadas que marcam o tecido na região.

Cicatrizes grossas, deformadas e queloides são mais comuns. Pode ocorrer ainda a formação de nódulos debaixo da pele, resultado do desenvolvimento de um tecido duro no local.

Há ainda o caso da cicatriz hipertrófica, causada pelo excesso de colágeno no organismo e que gera uma textura mais elevada. Seus queloides são protuberâncias rosadas, causando dor e coceira.

Por fim, existe a cicatriz retrátil, que nada mais é do que um processo da pele sendo "repuxada" para dentro na região operada.

A perda de sensibilidade em cima da cicatriz também é outra complicação negativa de um inchaço da região. Mas normalmente essa sensação vai sendo recuperada aos poucos conforme a evolução do pós-operatório.

Fatores que dificultam a cicatrização
Alguns fatores podem comprometer o processo de cicatrização, como: esforço físico, exposição solar, fumo, falta de higienização e alimentação desequilibrada.

Respeitar o tempo de recuperação é essencial, pois qualquer tipo de esforço físico pode afetar o resultado efetivo e a cicatrização em si. A ruptura de pontos ou grampos prejudica a formação da nova pele, podendo levar à deiscência - separação das bordas dos tecidos que foram devidamente unidos.

O risco é desenvolver uma infecção maior e postergar a cicatrização. Essa infecção pode ocorrer em torno da cicatriz, mas pode haver também uma infecção interna, revelada em sintomas como inchaço, dor, febre e pus.

O sol retarda o processo de cicatrização e altera a cor da pele no local da cicatriz. A incidência de raios solares pode deixar o local da incisão com uma cor mais escura que a pele ao redor.

Quando ocorre a exposição solar, a cicatriz e região próxima têm maior dificuldade de eliminar o calor através do suor, elevando a temperatura corporal - o que também dificulta a cicatrização.

É importante evitar o Sol o máximo possível para permitir que a pele atinja a sua tonalidade normal. O uso de protetores solares é sempre recomendado ante qualquer exposição solar.

Outro cuidado muito importante é com o tabaco, que está diretamente relacionado a problemas de cicatrização. O risco é maior em pacientes fumantes submetidos a cirurgias plásticas. O fumante tem um nível reduzido de antioxidantes, afetando diretamente a síntese de colágeno e o processo de regeneração celular.

Manter a higiene em dia também é essencial. O recomendado é lavar o local operado com cuidado, utilizando uma toalha específica para secar a região e aplicando um antisséptico na cicatriz. Use somente produtos sob recomendação médica!

Por último, não relaxe com a alimentação. Use e abuse de alimentos que aceleram o processo de cicatrização e potencializam a imunidade, mas com orientação médica nutricional.

É válido ressaltar que mesmo seguindo todos os cuidados, as cicatrizes são normais e deixarão uma marca na pele. Temos apenas que evitar que essa marca piore durante o processo de cicatrização ou fique muito aparente depois.

Caso a situação fuja do controle no pós-operatorio, um tratamento específico, com medicamentos tópicos e um procedimento minimamente invasivo pode resolver o problema.

fonte: Minha Vida, escrita pelo Dr. André Eyler

TIRE SUAS DÚVIDAS

(16) 9 9797-4006 - para agendar consulta

(16) 9 9753-9139 - para tirar dúvidas

Whatsapp