Cirurgia plástica no verão: pode ou não?

Imagem retirada de http://www.folhape.com.br/robertajungmann/lifestyle/beleza/2016/12/12/NWS,9960,79,496,ROBERTAJUNGMANN,2467-CIRURGIA-PLASTICA-VERAO-PODE-NAO.aspx
Imagem retirada de http://www.folhape.com.br/robertajungmann/lifestyle/beleza/2016/12/12/NWS,9960,79,496,ROBERTAJUNGMANN,2467-CIRURGIA-PLASTICA-VERAO-PODE-NAO.aspx

Durante o verão, é observada uma forte procura por cirurgias de contorno de corpo. Além da vaidade, outros motivos como férias, folgas, feriados e até bonificações salariais que aumentam o poder aquisitivo para realizar os procedimentos. Mas, uma dúvida atinge boa parte das pessoas antes de decidir fazer algum procedimento na estação mais quente do ano: cirurgia plástica no verão pode ou não? Para esclarecer algumas dúvidas, o site RJ conversou com Pedro Pita, cirurgião plástico e titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que também listou os procedimentos mais populares nesta época do ano.

RJ - Fazer cirurgia plástica levanta uma série de dúvidas nos pacientes. Essas intervenções no verão são aconselháveis?
Pedro Pita - Você poderá fazer uma cirurgia plástica em qualquer época do ano, independente da estação. Aqui no Recife, a procura pela cirurgia plástica é maior nos meses de férias, como julho e janeiro, porque os pacientes geralmente têm mais tempo para a recuperação. É diferente de outros lugares como São Paulo e Rio de Janeiro. Apesar de aqui ter sol o ano inteiro, isso não interfere na cirurgia. No caso de cirurgias como a lipoaspiração, é aconselhável evitar o calor para não aumentar o inchaço do pós-operatório imediato, que deve ser combatido com a fisioterapia dermato-funcional.

RJ - Quando o assunto é verão, logo pensamos no corpo “em dia”. Existe um aumento em relação a algum tipo de cirurgia específico? Quais?
Pedro Pita - Lipoaspiração e implantes de silicone nas mamas são as mais procuradas. No caso do silicone, é uma cirurgia mais simples, porém requer todo o cuidado com o pós-operatório.

RJ - Quais os cuidados que o paciente deve tomar se for fazer uma cirurgia plástica no verão?
Pedro Pita - São os mesmos cuidados em qualquer época do ano, vai variar a liberação para exposição solar pelo tipo de cirurgia feita. Para a proteção da cicatriz é aconselhável utilizar protetores solares e fita de micropore em dupla camada.

RJ - Como fatores como temperatura e radiação solar interferem nos resultados dos procedimentos?
Pedro Pita - A temperatura elevada provoca aumento do edema, ou seja, do inchaço. Enquanto a baixa temperatura, que se chama crioterapia, vai ajudar a regredir esse efeito. Sobre a exposição à radiação solar o problema é que as células jovens da cicatriz não têm a proteção da melanina que só vai adquirir com o tempo. Para evitar esses efeitos nocivos no processo da cicatrização temos que cobrir com alguma coisa radiopaca (micropore e protetor solar).

RJ - Qual o tempo de recuperação da cirurgia para implantar silicone nas mamas?
Pedro Pita - É um dos procedimentos de mais rápida recuperação. Em até sete dias a paciente já estará apta para trabalhar e dirigir, por exemplo.

RJ - Qual a diferença entre lipoaspiração, lipoescultura e hidrolipoclasia?
Pedro Pita - A lipoaspiração é a retirada das gorduras localizadas em qualquer região do corpo. A modelagem pela lipoaspiração é considerada uma lipoescultura que é complementada com o enxerto da gordura lipoaspirada. A maioria das lipoaspirações é realizada com a infiltração de uma solução de soro fisiológico, adrenalina e bicarbonato de sódio a critério do cirurgião. Isto serve para amolecer as gorduras e facilitar sua retirada. Portanto, o uso dessa solução é chamada de hidrolipoclasia e não é em si, um procedimento distinto, mas uma ferramenta complementar.

RJ - Um medo constante para os pacientes em qualquer tipo de procedimento é a cicatriz. O que pode ser feito para evitá-la?
Pedro Pita - Toda cirurgia plástica é realizada com cicatriz, que poderá ser pequena, média ou grande. O maior problema da cirurgia plástica é que se trabalha com tensão na linha de sutura, que é a retirada de retalho, que exige muita técnica. Os fatores determinantes à cicatriz são o tipo de cirurgia, fatores genéticos e a experiência do cirurgião. Não é algo que seja evitado na cirurgia. O cuidado no pós-operatório ajudará num bom resultado. A cicatrização demora em média 2 anos para terminar, é um processo fisiológico.

RJ - Há formas de correção para cicatrizes na pele? Pessoas com tendência a queloide, têm como evitá-las?
Pedro Pita - Tem sim. Se a paciente tem um histórico de cirurgias, é interessante o cirurgião plástico avaliar o processo de cicatrização para fazer uma previsão do tipo de cicatriz que será desenvolvida. Quando já existe uma cicatriz de má qualidade, tipo hipertrófica ou queloidiana tem indicação de radioterapia para a prevenção. Usa-se também corticóide tópico, ou seja, com aplicação direta na cicatriz.  

Sobre os procedimentos mais populares no verão
Mastoplastia de aumento ou silicone: é o procedimento realizado para aumentar o volume dos seios. A prótese de silicone preenche as mamas, deixando-as firmes e elevadas. A recuperação tem um prazo curto, varia de uma a duas semanas.

Redução de Mama: o procedimento, também conhecido como mamoplastia redutora, remove o excesso de gordura, o tecido glandular e a pele para atingir um tamanho de mama proporcional com o seu corpo e aliviar o desconforto associado com mamas muito grandes.

Mastopexia: a mastopexia é um procedimento capaz de modelar a mama, utilizando a técnica adequada para o caso de cada paciente. Após a modelagem da mama, o procedimento reposiciona a aréola e o tecido mamário, removendo o excesso de pele, gordura e glândula. Uma das técnicas mais utilizadas para esta cirurgia é a Técnica de Pitanguy, vertical ou em “L”.

Lipoescultura: consiste na retirada dos excessos de gordura de determinadas regiões e reutiliza para preencher áreas de maior volume, deixando os contornos do corpo harmônicos. É comum, por exemplo, tirar gordura da barriga e colocar no bumbum. Dessa massa adiposa, 30% são absorvidas pelo corpo e 70% ficam lá de forma permanente, dando mais volume. Esse procedimento demanda mais tempo de recuperação já que a pele pode ficar um pouco roxa.

Abdominoplastia: a plástica do abdômen repara os excessos de pele e gordura na região. São necessários trinta dias de repouso para um bom resultado, mas para exposição solar é necessário esperar três meses. A cicatriz desse procedimento tem um tamanho considerável e precisa ser protegida com uma barreira física e bastante protetor solar. Proteger a área vai prevenir alteração na cor e qualidade da cicatriz, que pode aumentar e ficar mais escura.

fonte: Folha de Pernambuco

TIRE SUAS DÚVIDAS

Fone: 16 3632-5534

Whatsapp: 16 9 9797-4006 - para agendar consulta

WhatsApp: 16 9 9605-4085 - para tirar dúvidas

Whatsapp