Como a rinoplastia pode auxiliar a saúde, além da estética

Imagem: simbiothy, de envatoelements
Imagem: simbiothy, de envatoelements

O Brasil segue sendo o campeão de cirurgias plásticas no mundo, com cerca de 1 milhão de procedimentos por ano, segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética. A rinoplastia é uma das mais buscadas para a conquista de um rosto mais harmônico e atraente. Esse procedimento, mais conhecido pela questão estética do nariz do paciente, também pode trazer uma melhora à saúde, especialmente a respiratória, é o que conta o médico otorrinolaringologista e especialista em rinoplastia, Guilherme Scheibel: “Os cirurgiões podem corrigir funções respiratórias, como desvio do septo nasal e tratamento dos cornetos nasais, geralmente em quem tem muita rinite ou sinusite alérgica”.

O exemplo do desvio de septo, citado pelo especialista, é bem comum no Brasil. O septo é uma estrutura feita de osso e cartilagem que separa uma narina da outra, como se fosse uma ‘parede’. Com o desvio, em vez dessa estrutura ser reta, ela é desalinhada. Contudo, nem todos os casos precisam de intervenção cirúrgica, como alerta Scheibel.

“Esse desvio só é de fato um problema quando ele interfere na respiração do paciente. Se ele sente dificuldades ao respirar, é hora de procurar um otorrino para verificar as possíveis causas e se a rinoplastia vai ser vantajosa para a pessoa”, orienta o cirurgião.

A operação ainda pode ser uma grande aliada para tratar quem sofre com roncos. Apesar de acometer milhões de brasileiros, o problema do ronco merece atenção quando ele começa a atrapalhar o sono, com “quebras” frequentes de momentos de descanso. Como consequência, provoca cansaço, irritação, dificuldade de raciocínio e perda de reflexo, só para começar a listar os malefícios.

“O ronco acontece a partir da vibração das vias aéreas, nariz e garganta, por conta da dificuldade da passagem de ar”, ele explica. “Alterações nasais, como essa categoria de obstrução, podem ser corrigidas através da rinoplastia de forma simples.”

Existe um melhor momento?
A decisão de fazer a rinoplastia, ou qualquer cirurgia plástica, precisa ser pensada com cautela e deve ser tomada após muita pesquisa e informação. Para o otorrinolaringologista Scheibel, o momento adequado para se fazer uma rinoplastia considera três fatores principais: “O melhor momento é quando a pessoa tem motivações adequadas para o procedimento, está preparada para a mudança e encontrou um profissional em que tenha segurança”, afirma.

O nariz fica artificial?
“Mito e verdade dependendo da técnica utilizada. Caso sejam feitas ressecções excessivas, o nariz retrai e colapsa, não somente deixando-o artificial, mas também o estigmatizando. Em estruturas mais simples, o cirurgião sabe que normalmente a ponta se movimenta para baixo com o tempo, então a coloca em uma posição mais alta e projetada. O problema é que normalmente a ponta tem uma posição exata em que deixa o nariz bonito, e dificilmente será a posição onde ela irá se consolidar nesta técnica de estruturação mais simples. O que vemos nestes casos são narizes que acabaram não caindo muito e ficaram empinados demais e com as narinas aparentes ou então cederam demais e voltaram a ficar com a ponta caída. Já em estruturas com técnicas mais modernas, escolhemos exatamente a posição que queremos para a ponta, deixando-o com o formato ideal ao final da cirurgia e com poucas hipóteses da ponta cair com o tempo”, explica Dr. Guilherme Scheibel.

Como é o pós-operatório?
Converse com o seu médico sobre os cuidados e como será o pós-operatório. “O tempo pode variar de acordo com o tipo de cirurgia e também a resposta de cada paciente, porém um fator muito importante é seguir à risca as orientações médicas”, complementa Dr. Guilherme Scheibel.

Rinoplastia é para sempre?
"Opero para que sim. A técnica que utilizo é composta de diversos enxertos e fixações firmes, para que eles não se movimentem com o tempo. Em outras técnicas, sem estruturação ou com estruturas mais fracas, realmente pode haver uma tendência maior à queda da ponta e à fragilidade da parede lateral, o que faz o resultado mudar e, em algumas vezes, necessitar de reoperação. O mesmo pode ocorrer mesmo com a melhor técnica, devido à força da cartilagem, peso da pele e outras individualidades de cada paciente, porém é muito menos frequente", conta Dr. Guilherme.

Procure um profissional competente.
“A rinoplastia é uma cirurgia que está longe de ser simples (de fato é a cirurgia plástica mais complexa que existe) e há muita tecnologia envolvida. Busque sempre um cirurgião experiente, com um bom senso estético e que te passe segurança e confiança”, indica Dr. Guilherme. Lembre-se que nas consultas pré-operatórias o médico deverá solicitar alguns exames, mas também é importante que o paciente conte todo seu histórico.

fonte: Revista GQ

TIRE SUAS DÚVIDAS

(16) 9 9797-4006 - para agendar consulta

(16) 9 9753-9139 - para tirar dúvidas

Whatsapp