"Fevereiro Roxo" faz alerta sobre Alzheimer, Lúpus e Fibromialgia

Imagem: twenty20photos, de envatoelements
Imagem: twenty20photos, de envatoelements

Assim como o Outubro Rosa que trata da conscientização do Câncer de Mama, e o Novembro Azul que fala sobre o Câncer de Próstata, o mês de fevereiro também ganhou uma cor e uma causa de atenção. O "Fevereiro Roxo" traz luz para a conscientização e os cuidados sobre três doenças: Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer. A campanha surgiu originalmente em 2014, na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais e, de forma oficial, não possui um calendário fixo de ações, mas geralmente tem eventos promovidos por entidades com apoio do poder público. As três doenças não tem cura e na qualidade de vida das pessoas.

​O Alzheimer é uma doença mais conhecida pelas pessoas, provoca restrições cognitivas, causa a perda de memória e, em alguns casos, a pessoa desenvolve um quadro de demência. A doença avança de modo gradual e causa prejuízos ao cérebro. Já o Lúpus é uma doença autoimune que afeta a pele, as articulações, os rins e o cérebro. Nos casos de não ser tratada da forma ideal, pode até evoluir para um quadro mais grave e levar à morte.

Das três doenças em foco no Fevereiro Roxo, a Fibromialgia ainda é a mais desconhecida. Ela tem como principal sintoma dores no corpo todo durante longos períodos. A pessoa desenvolve uma sensibilidade nas articulações, nos músculos e tendões. Atrelado a dor, a doença também causa cansaço, distúrbios do sono e pode desenvolver quadros de depressão e ansiedade. Durante entrevista nesta terça-feira (9) à CBN Joinville, o doutor em ciências farmacêuticas e coordenador universitário, professor Vinícius Bednarczuk, destacou que a Fibromialgia pode se desenvolver em pessoas de diversas idades.

- É uma doença que ainda tem muito a se descobrir sobre ela - comentou.

Ainda de acordo com o professor, as três doenças trabalhadas neste segundo mês do ano não possuem muitos sintomas parecidos entre si, mas nenhuma delas tem cura e seus tratamentos interferem nas rotinas e na dinâmica da vida das pessoas.

- Se tiverem o diagnóstico precoce vai auxiliar muito na qualidade de vida do paciente - pontuou.

O professor ainda comentou que adotar hábitos saudáveis e buscar informações sobre as doenças são as principais dicas. Exercício físico, boa alimentação e até a ingestão de água na quantidade certa todos os dias, são dicas importantes para uma vida mais saudável e dicas que podem auxiliar na diminuição do aparecimento de diversas doenças, não somente dessas três em foco. E o professor salientou que é importante pesquisar, estar atento a sinais e ir atrás de conhecimento sobre essas e outras doenças, não só agora, mas durante todo o ano.

- Não importa a cor do mês, a informação pode salvar vidas - destacou.

fonte: NSC Total, escrita por Jean Patrick

TIRE SUAS DÚVIDAS

(16) 9 9797-4006 - para agendar consulta

(16) 9 9753-9139 - para tirar dúvidas

Whatsapp